terça-feira

Um exemplo que comprova ser a “sabedoria da natureza” mais do que uma ilação ecológica


É uma aparente contradição. A introdução de predador em parque determina o resgate de flora e fauna. É um exemplo que atesta a “sabedoria” da natureza e que vai bem além de nossas ilações ecológico-ambientais.

Veja por si mesmo.

Confira!
*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

A agricultura familiar e os famintos de 2050

.

Empresários do agronegócio insistem que o sistema familiar é símbolo de atraso ao mesmo tempo em que publicações espalham teorias sobre como evitar falta de alimentos no mundo.

por Rui Daher

Gramadinho é uma comunidade do distrito de Diamante, em Cascavel, Paraná. Vivem lá cerca de 60 famílias de agricultores que produzem principalmente grãos – soja, milho, trigo, feijão - em áreas médias de 70 hectares.

 *

Share/Save/Bookmark

Cães mordem 4,5 milhões por ano nos EUA, sendo que metade é criança. E o seu cão?

Não existe um termo ou adjetivo para definir ou classificar a coqueluche de cães que aumenta a cada dia e em todo lugar. Tudo bem, em princípio nada contra, eu mesmo tenho um cão que resgatamos da rua passando fome e cheio de bicheiras, o que gostaríamos de salientar aqui, é a responsabilidade de quem tem e não cuida. Não do cão, mas, sobretudo dos outros, vizinhos e transeuntes que nada têm a ver com isso.

Um ataque de cão e as mutilações e sequelas que deixa é irreversível. Isso além de sua contribuição para a higiene e limpeza publica quando sai com o seu para evitar que tenha que catar e limpar os “serviços” dele em casa, deixando-os na rua e nas portas das casas dos outros.

Esta estatística acima, nos EUA, é séria, embora, que eu saiba, não tenhamos algo similar por aqui, mas, diante do número que temos em todo o país, da para se ter uma ideia.

O Brasil tem hoje 37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Dados de 2013. Isso em um universo de 101,1 milhões de mascotes de todo tipo. Com o 2º lugar no mundo, depois dos EUA. Dá para imaginar o tamanho do “estrago”.
"O vídeo viral em que uma gata sai corajosamente em defesa de um menino atacado por um cão na Califórnia, expôs a "proporção epidêmica" de mordidas de cães nos Estados Unidos, informou nesta quinta-feira uma conhecida adestradora.
A cada ano, os cães mordem mais de 4,5 milhões de americanos, sendo que mais da metade é de crianças, informou a Associação Humana Americana às vésperas da próxima Semana de Prevenção Nacional de Mordidas de Cão, que começa no domingo.
As seguradoras pagaram mais de 484 milhões de dólares por mordidas de cães em 2013. No ano passado, os cirurgiões plásticos fizeram 26.935 operações por causa de ferimentos causados por incidentes com cães e o serviço postal americano USPS destacou que 5.581 carteiros foram atacados por cães no ano passado.
"A situação das mordidas de cães atingiu proporções epidêmicas. Na Europa há menos, mas continua sendo um assunto preocupante", disse à AFP a adestradora e apresentadora de TV Victoria Stilwell, que conduz o programa de 'reality show' "It's Me or the Dog" (O cão ou eu).
"É preciso levar este tema mais a sério", disse Stilwell em um encontro com a imprensa em Washington, do qual participou Elle, uma tranquila cadela terapêutica da raça pitbull.
Stilwell disse que é preciso educar melhor os donos de cães e o público em geral, bem como melhorar o treinamento dos animais.
Em um vídeo feito por câmera de vigilância que se tornou viral no YouTube, o menino de quatro anos Jeremy Triantafilo, de Bakersfield (Califórnia, oeste), é atacado e mordido na perna por um cão que parecia ser um pitbull.
Mas o cão põe o rabo entre as pernas e foge assustado quando Tara, a gata da família, salta sobre ele para defender a criança, com autismo leve, que estava brincando com sua bicicleta na calçada.
"Nossa gata salvou nosso filho!", disse a mãe do menino, Erica Triantafilo, que regava o jardim no momento do incidente, ao relatar o ocorrido à afiliada da emissora ABC em Bakersfield, ao norte de Los Angeles. "Foi incrível. É minha heroína".
O menino precisou levar vários pontos na perna. Já o cão, que pertence a um vizinho, foi levado em quarentena pelas autoridades locais. Tara, a gata, saiu ilesa.




Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Veja um truque simples para aumentar a vida útil de suas lâminas de barbear. A natureza agradece

.

Se tem uma coisa que não dá para aceitar – nunca deu, na verdade – é o prazo de validade e uso de um barbeador. Isso sem falar no amontoado deles que jogamos fora e que só servem para entulhar o meio ambiente, já que, sobretudo por serem constituídos de duplo material – plástico e aço – nunca serem reciclados.

Agora, pelo visto, nesta matéria na Gizmodo alguém dá uma dica formidável que promete acabar com isso, além, é claro, de fazer uma boa economia.

Hoje eu descobri como aumentar drasticamente a vida útil de lâminas de barbear, seja de marcas como Gillette ou Bic. Este truque é incrivelmente simples e bastante eficaz. Ele também vai lhe poupar algum dinheiro ao longo do tempo.

Por exemplo, um conjunto de 4 cartuchos para Gillette Mach 3 custa uns R$ 30, e cada um deles promete durar um mês. Mas com o método abaixo, eu uso o mesmo cartucho há oito meses, e as lâminas continuam bem afiadas.

Não tenho ideia de quanto tempo isso vai durar, mas agora aquele pacote de cartuchos pode durar quase quatro anos, em vez de quatro meses. Ou seja, no total é uma economia de até R$ 330, dependendo de quanto tempo as lâminas permaneçam afiadas com o método abaixo.



Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como identificar plantas perigosas encontradas nos quintais

.
comigo-ninguem-pode

As principais vítimas destas plantas são as crianças. Conheço um caso, por exemplo, de algumas crianças que se “queimaram” ao utilizarem as folhas do conhecido “comigo ninguém pode” para fazer comidinhas de bonecas. Logo, cabe aos pais ou responsáveis identificá-las e levar ao conhecimento das crianças para que as evitem.

O número de plantas tóxicas existentes é muito grande, e várias delas chegam a ser mortais. O mais complicado disso tudo é que muitas dessas plantas são usadas como ornamentos em jardins domésticos, trazendo riscos pra animais e crianças. Conheço algumas delas e entenda o eu podem causar.

Comigo-ninguém-pode

Nome científico: Dieffenbacahia picta Achott 

Essa planta, que está na maioria das casas e parece inofensiva, é muito tóxica. Ela tem cristais de oxalato de cálcio em seu caule e nas folhas. Se mastigada, fere a mucosa da boca e da garganta, provocando inchaço e causando asfixia. Quem tem crianças e bichinhos de estimação em casa precisa ter muito cuidado.




Share/Save/Bookmark

sábado

Extermínio de abelhas por agrotóxicos ameaça sobrevivência da humanidade

.

Tem gente que pode até pensar que, como não gosta tanto assim de mel, este é um fenômeno que não lhe diz respeito ou afeta a sua vida. O que talvez muitos não saibam é que pelo menos três quarto (75%) das culturas do mundo dependem da polinização por abelhas e outros polinizadores para se desenvolver e gerar frutos. Logo, o mel é só um detalhe.

 Já é consenso entre cientistas de todo mundo que a intoxicação dos agentes polinizadores representa uma séria ameaça à produção de alimentos e à própria sobrevivência da humanidade, se algo não for feito, e com urgência, para reverter esta situação.
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está investigando o extermínio de abelhas por intoxicação por agrotóxicos em colmeias de São Paulo e Minas Gerais. Os estudos com inseticidas do tipo neonicotinóides devem estar concluídos no primeiro semestre de 2015. Trata-se de um problema de escala mundial, presente, inclusive, em países do chamado primeiro mundo, e que traz como consequência grave ameaça aos seres vivos do planeta, inclusive o homem.
De acordo com o coordenador geral de Avaliação e Controle de Substâncias Químicas e Produtos Perigosos do Ibama, Márcio Freitas, o órgão está reavaliando, desde 2010, vários produtos suspeitos de causar colapsos e distúrbios em colmeias paulistas e mineiras. Segundo Freitas, que integra o Comitê de Assessoramento da Iniciativa Brasileira para Conservação e Uso Sustentável dos Polinizadores, a intoxicação prejudica a comunicação entre as abelhas e isto impede que elas retornem às colmeias, levando ao extermínio dos enxames.
Continue lendo...



Share/Save/Bookmark