sexta-feira

Lixo virtual. O novo “front” da velha atitude de produzir lixo e destruir o meio ambiente



A atitude de uso e abuso dos recursos naturais vem deixando um saldo de descarte, de lixo, no meio ambiente, no planeta que só tende a se agravar. Temos o lixo convencional, doméstico e industrial, urbano no meio ambiente: "Lixão em Nova York, a maior “obra” humana vista do espaço".

O lixo no meio ambiente marinho, que tem o seu maior expoente detectado no Oceano Pacífico, como comentamos no artigo: "Lixão gigante no oceano Pacífico". O Lixão Espacial, de sucata de satélites e foguetes, sem falar nos dejetos sanitários da estação espacial, que ainda bem que não andam caindo por aí, que você lê: "Lixão espacial, o planeta terra sitiado pelo lixo".

O lixo nuclear com seu poder destrutivo, latente, enterrado, sabe-se lá onde, que só tende a aumentar com a retomada da construção de usinas nucleares. Leia: "Energia nuclear. Crise energética minimiza os riscos e 'ressuscita' antigos projetos de usinas".

O e-lixo ou e-waste, o lixo tecnológico com seus vários componentes tóxicos, que aumenta vertiginosamente na esteira das inovações tecnológicas e no descarte precoce de aparelhos tornados obsoletos pelo modismo e concorrência das empresas de tecnologia. Leia: "O descarte de baterias de celular no meio ambiente, a contaminação da água e os riscos para a saúde".

E, finalmente, para honrar a nossa atitude básica de produzir lixo de todo tipo, o lixo virtual. É isso mesmo! O lixo virtual, que são os milhares de blogues, sites, e-mails e perfis em redes sociais, abandonados, que já infestam a “estratosfera virtual”.

Como vê, a atitude é a mesma. De uso, abuso e descarte irrefletido e inconsequênte.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações.

Share/Save/Bookmark

Nenhum comentário:

Postar um comentário