sábado

Reciclagem...


será que já temos novos “distúrbios”?

Share/Save/Bookmark

2 comentários:

  1. É exatamente assim que eu me sinto.
    Separo todo o lixo reciclavel em sacos transparentes para serem devidamente reconhecidos pelas pessoas que catam o lixo,pois não temos aqui no bairro nenhum local aonde possam ser encaminhados esses objetos.As vezes quando não aparece alguem que recolha antes da passagem do caminhão da Comlurb,tenho ainda o desprazer de ver o que afinal me aumentou o trabalho nos afazeres comuns do dia a dia espalhado pelo chão da rua (não sei o porque?) parece até implicancia com quem tem uma visão diferente.Me parece que é a pobreza de espirito que ainda graça pela população atualmente.
    Moro num bairro perto do Meier,e mesmo lá(no Meier) não sei de algum lugar em que se possa colocar esse tipo de lixo.
    Penso que a prefeitura deveria viabilizar locais com essa serventia em todos os bairros
    Desculpe o desabafo ,e continue na sua luta ,pois um dia havemos de chegar na melhoria da educação
    Muita paz

    ResponderExcluir
  2. Olá Alcione!

    Tive a idéia de fazer esta postagem, porque conheço uma pessoa que vive uma situação idêntica e a solução que encontrou foi juntar um pouco e ir periodicamente a um supermercado que tem coletores ou levar a alguns coletores públicos longe do bairro onde mora.

    Mas, acredito que, mesmo que não haja a coleta seletiva, só o fato de fazermos a separação, vai favorecer – na ponta, lixão ou aterro sanitário – as pessoas que fazem esta coleta.

    Acho que o importante é que continuemos a agir assim, separando, pois, além do benefício óbvio, estamos ampliando a nossa consciência ecológica e fazendo a nossa parte, que é o pressuposto fundamental para as mudanças, não é verdade?

    Um abraço

    ResponderExcluir