sexta-feira

Papel higiênico, no lixo ou na privada?



É uma dúvida, relativamente, comum: jogar o papel higiênico no vaso sanitário ou no lixo? Qual seria o melhor ou mais correto ecologicamente falando? Isso além do aspecto higiênico ou “ambiental doméstico” em função das tradicionais lixeiras dos banheiros, entretanto, nem todo mundo pode fazer opções, como pode verificar.

Se a cidade onde mora tem sistema de tratamento de esgotos e se o papel for fino, macio – folha simples ou dupla – jogue na privada, pois, como se dissolve facilmente na água levará cerca de 4 meses para se desintegrar no lixão ou aterro sanitário onde irá parar no final.

Agora, se o papel é mais grosso e/ou se a sua cidade não tem sistema de tratamento de esgotos, ele deve ser jogado no lixo, embora, o saco plástico que o embala vá retê-lo por até 40 anos quando se degradar. Apesar disso, é a melhor opção, pois se ele não dissolve facilmente pode contribuir para o entupimento do esgoto e, se a cidade não tem tratamento ele vai direto para o rio mais próximo, concorrendo para a degradação do meio ambiente.

O estado dos rios que cortam as cidades – com rarissimas exceções – é lastimável, verdadeiros esgotos a céu aberto e, embora a responsabilidade seja das adimistrações municipais, nós tambem temos a nossa parcela em virtude de nossos hábitos ecologicamente pouco recomendáveis, como o destino que damos ao papel higiênico.
É isso!

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações.

Share/Save/Bookmark

18 comentários:

  1. se eu for ecologicamente correto e jogar o papel na privada vai vir algum ecochato bondoso desentupir ela pra mim? há certas coisas que embora sejam teoricamente possíveis, na prática pode causar uma série de transtornos.

    ResponderExcluir
  2. Isso é uma pena, pois em paises mais desenvolvidos o papel é jogado sim na privada. São biodegradaveis !

    ResponderExcluir
  3. Olha, a única situação em que um papel higiênico não deve ser jogado no vaso. Entope a ligação hidráulica da sua casa, além de que na saída de esgoto da sua casa, o sebo que você mesmo dispensa no banho, com gorduras da cozinha e eventuais fios de cabelo com sabão do banho/limpeza doméstica criam uma crosta de material muito complicada de tirar nos canos. POrtanto, independentemente de ser pró natureza ou não, não seria ideal jogar no vaso. O ideal mesmo seria termos uma coleta separada desse "material orgânico", além de tecnologia para transformar tais excrementos em gás, o que é viável hoje em dia

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Como dito no artigo: “Se a cidade onde mora tem sistema de tratamento de esgotos ...” O lance é que a grande maioria das cidades no pais, ainda, não tem tratamento de esgotos, logo o destino do papel higiênico deve ser mesmo o lixo. Há tambem a qualidade do papel... o que faz muita diferença em todo o processo.

    No mais, o trato com o destino correto do papel higiênico é só mais uma atitude e/ou ação no sentido de reduzir a nossa “pegada ecológica”.

    ResponderExcluir
  5. O encanamento so entope porque nao temos um papel com grande poder de dissolução como os utilizados em paises de primeiro mundo. Estes papéis começam a se dissolver ao entrar em contato com a agua e, com a força da descarga, dissolvem-se completamente antes de entrarem pelo cano. Não diferem muito do papel normal em termos de impacto ambiental na disposição, já que a celulose de ambos é biodegradavel. O que muda é somente o tempo de dissoluçao. Muito mais pratico e higienico. Primitivo é ficar armazenando papeis sujos de bosta em latinhas no banheiro.

    ResponderExcluir
  6. cara é muito papel jogado fora. papel é reciclavel, imagina quantos cadernos poderiam fabricar para crianças carentes. mell dellz

    ResponderExcluir
  7. É isso!

    Esta é uma situação que pode mudar com o aumento da informação e consciência ambiental o que pode gerar uma demanda por papéis mais adequados, principalmente no sentido do livre fluxo nas tubulações dos esgotos, ao lado da melhoria da infra-estrutura no país com a extenção ou ampliação do sistema de tratamento de esgotos.

    ResponderExcluir
  8. "se eu for ecologicamente correto e jogar o papel na privada vai vir algum ecochato bondoso desentupir ela pra mim?"
    HUAHUAHUAH... mto boa...!

    ResponderExcluir
  9. sempre joguei papel na privada e nunca entupiu, acho que é a maneira correta

    ResponderExcluir
  10. "se eu for ecologicamente correto e jogar o papel na privada vai vir algum ecochato bondoso desentupir ela pra mim?"

    Aqui em casa SEMPRE se jogou papel no vaso e NUNCA entupiu...
    Vai ver q o seu encanamento não é Tigre!!! Que mico!!! =^.^=

    ResponderExcluir
  11. Até os Argentinos que são argentinos jogam o papel no vaso sanitário. As lixeiras são usadas para material feminino descartado.

    ResponderExcluir
  12. Olá Timo!

    É isso!

    Tambem por aqui a coisa está mudando. É preciso mais divulgação e, sobretudo, a melhoria da infraestrutura de esgotos para que possa ser feito com segurança.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  13. Fonte: www.akatu.or.br

    E quanto a isso, pessoal?E a questão da água, hein?

    02 - Não jogue lixo no vaso sanitário e economize 4 minutos de queda d água das Cataratas do Iguaçu.

    O consumo mundial de água aumentou seis vezes ao longo do século 20 por causa do crescimento populacional e os maus hábitos das pessoas que também contribuíram para esse crescimento. Quando você aciona a descarga para se livrar do lixo, 12 litros de água tratada de boa qualidade descem pelo ralo. Se um milhão de pessoas largarem esta mania, economizaremos 360 milhões de litros de água. Esse volume equivale à água que cai nas Cataratas do Iguaçu a cada 4 minutos.


    Bem quanto ao "ecochato" do burro ali de cima, vai mudar hábito, sim, se necessário, quem vc pensa que é?Não pode se incomodar mas pode fuder com a natureza?
    As pessoas tem que se ligar, que a natureza não está a nossa disposição pra destruirmos, senão, quem se fode, somos nós!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. É isso!

    Não dá para esperar, apenas, das instâncias oficiais e/ou governamentais para começar a mudar este quadro que nos parece tão adverso. Eu acredito, tambem, que o caminho passa necessariamente pela informação, conscientização – nesta ordem – para que possamos mudar de atitude, fazermos a nossa parte e deixar de ficar só falando ou endossando papo sensacionalista de certa mídia que só toca nos assunto quando tem tragédias naturais, com o único objetivo de suscitar o medo, a insegurança e, é claro, garantir os índices de audiência.

    ResponderExcluir
  15. Sou brasileiro e moro na Argentina e aqui todos jogam o papel no vaso sanitario, só os brasileiros quando vem acá e que jogam no lixo. E me parece qu encontramos um ecochato rsrrsrsr.
    Um conselho amigo, não acredite em tudo que vc escuta por ai, a agua nunca vai se acabar no mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Sobre o papel higiênico, os argentinos que, segundo diz, o jogam no vaso sanitário, não fazem isso porque teriam uma hipotética consciência ambiental, ou seja, não sabem o que ou porque o fazem.

      E, quanto à “água acabar”, você tem razão. Não vai acabar, literalmente, só vai comprometer mais ainda o quadro de carência mundial, onde, hoje, 1,5 bilhão de pessoas têm dificuldade de suprir as suas necessidades básicas.

      É não pense que a água que consome é, “esta brastemp toda”, como se diz por aqui. Você pode muito bem estar bebendo a tal água tecnológica ou “água do futuro”, que nada mais é que esgoto reciclado, e não sabe.

      Você pode estar bebendo “água do futuro” sem saber

      É isso!

      Um abraço

      Excluir
  16. A água da Argentina é péssima ,tem gosto de lodo e tem a coloração esverdeada.. affe Horrivel.aCHO QUE NÃO CONHECEM ÁGUA DE VERDADE,COM CERTEZA BEBEM a tal água tecnológica ou “água do futuro”, que nada mais é que esgoto reciclado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Pelo que descreve, deve ser verdade. As autoridades fazem de tudo para ocultar, mas, o fato é que a população deve estar usando sem saber.

      Um abraço

      Excluir